Samba

Samba de Gafieira

Tem sua origem no maxixe. Nasceu no Rio de Janeiro e difere-se do Pagode Paulista pela forma. Para se dançar pode ser utilizado o pagode o samba, a bossa-nova e o chorinho. Utiliza-se a mesma dança, porém respeitando a melodia que é exigida por cada música. É o mais brasileiro de todos os ritmos.

Samba

Gênero musical e tipo de dança de origem afro-brasileira. De ritmo sincopado, o samba é tocado com instrumentos de percussão, tendo como base violões ou cavaquinhos. As letras falam da vida urbana ou casos de amor e geralmente são feitas em tom bem-humorado. Influencia movimentos da MPB, como a bossa nova, cuja primeira gravação é feita por uma das mais prestigiadas cantoras de samba, Elizeth Cardoso (1920-1990).

A palavra samba vem de semba, idioma africano quimbundo, e significa umbigada, dança de roda na qual os participantes se tocam pela barriga. Era empregada como sinônimo de festa popular. O samba é derivado de danças de roda africanas, como o lundu, o jongo e sobretudo do maxixe, primeira dança brasileira genuína, criada por volta de 1875. Vindas da Bahia, seu erotismo escandaliza a alta sociedade do Rio de Janeiro no fim do século XIX.

A primeira música registrada como samba é Pelo Telefone (1917), criada por um grupo de boêmios que se reuniam próximo à Praça Onze, no Rio de Janeiro. Ali era a casa da Tia Ciata, baiana considerada “mãe” do gênero. Composta pelo cronista Mauro de Almeida (1882-1956), Sinhô (1888-1930) e Donga (1889-1974), faz alusão à perseguição policial aos jogos de azar.

O gênero espalha-se pelo Brasil e domina o carnaval. Sinhô, Ismael Silva (1905-1978) e Heitor dos Prazeres (1898-1966) destacam-se com suas composições. Nos anos 30 o samba passa a ser difundido regularmente pelas rádios e faz sucesso o ano inteiro. Entre os maiores compositores e intérpretes estão Noel Rosa (1910-1937), Cartola (1908-1980), Dorival Caymmi (1914-) , Adoniran Barbosa (1910-1982), Ciro Monteiro (1913-1973), Germano Matias (1934) e Jair Rodrigues. Noel é autor de Conversa de Botequim e Três Apitos. Cartola compõe As Rosas não Falam e O Mundo é um Moinho. Caymmi faz O que é que a Baiana Tem e Samba da Minha Terra, com o verso que resume o espírito do gênero: “Quem não gosta de samba, bom sujeito não é. É ruim da cabeça ou doente do pé”.

Adoniran lança Trem das Onze e Saudosa Maloca. Ciro Monteiro ganha projeção nacional cantando Falsa Baiana, de Geraldo Pereira. O paulista Germano Matias destaca-se com Guarde a Sandália Dela e Tristeza. Com Aquarela do Brasil, o jornalista Ary Barroso (1903-1964) cria o samba-exaltação. Paulinho da Viola (1942-) faz uma declaração de amor à escola de samba Portela em Foi um Rio que Passou em Minha Vida.

Samba-enredo

Estilo desenvolvido no Rio de Janeiro a partir dos anos 30, com o início dos desfiles oficiais de escola de samba. É a descrição musical do tema desenvolvido pela agremiação. Até o fim da década de 60, os sambas-enredos têm letras longas que exaltam a história do país e seus personagens. A partir dos anos 70 as letras encurtam e o ritmo se acelera. Os temas passam a incluir crítica social e política e aspectos da cultura popular.

Samba-canção

Gênero de samba que dá ênfase à melodia. De ritmo mais lento, suas letras são românticas e sentimentais, muitas vezes falando da “dor-de-cotovelo”. Existe desde os anos 20, mas só faz sucesso a partir de Ai, Ioiô, de Luís Peixoto (1889-1973). Samba de partido alto – Uma das formas mais antigas de samba. No início era restrito a compositores experientes – de “alto gabarito”. As letras são improvisadas sobre temas do cotidiano. Renova sua força a partir dos anos 40, nos morros cariocas e nas quadras de escolas de samba . Os compositores Moreira da Silva (1902-) e Martinho da Vila (1938-), e os intérpretes Beth Carvalho e Neguinho da Beija-Flor estão entre seus principais representantes.

Pagode

Nascido em São Paulo, o pagode parece com o samba de partido alto. É o chamado samba de fundo de quintal, muito comum também no Rio de Janeiro onde destaca-se o compositor Zeca Pagodinho. Usa instrumentos de percussão e teclado. Suas letras são carregadas de romantismo. É geralmente cantado por grupos, como Fundo de Quintal, Cravo e Canela, Negritude Júnior, Só Preto Sem Preconceito, , Só pra Contrariar e Raça Negra.


Comente!